Veja

6/recent/ticker-posts

Falta de estrutura prejudica funcionamento de Conselhos Tutelares em Goiânia


Os Conselhos Tutelares de Goiânia estão sofrendo com a falta de estrutura nos prédios. Algumas unidades estão com rachaduras nas paredes, com criadouros do mosquito da Aedes aegypti e até sem energia. A Secretaria de Assistência Social estuda como serão feitas as reformas necessárias. 

Na região de Campinas, parte do teto está caindo e as paredes estão rachadas e com cupins. A sala que seria para atendimento às crianças virou depósito de móveis e equipamentos sucateados. “Se for preciso conversar com a mãe e com o pai, não tem lugar para deixar a criança. 

É um local que era para a criança brincar”, disse o conselheiro tutelar Dácio Anacleto. Do lado de fora, o mato alto circula o prédio e um grande formigueiro se espalha pelo local. A caixa d’água tem uma tampa improvisada, o que aumenta o risco de dengue. Dois conselheiros tiveram a doença em novembro. 

Os próprios fiscais da Prefeitura de Goiânia notificaram o conselho para fazer adequações. “Eles não mandaram a caixa d’água para cá, então nós tivemos que tirar do bolso e comprar, de forma particular, sem esperança nenhuma de receber”, contou Anacleto. No conselho da região norte, a energia foi cortada na última semana por falta de pagamento. Já na região sul, as infiltrações tomam conta do teto e a fiação elétrica está exposta. O representante dos conselheiros tutelares, Ismael Carvalho, diz que a falta de estrutura dificulta o atendimento. “Vai da parte de vidros quebrados, portas sem segurança, estrutura, até servidor”, disse. 

O secretário de Assistência Social, Robson Azevedo reconhece os problemas e disse que já está sendo feito um levantamento dos problemas para começar a reforma nas unidades. “Talvez, a partir de janeiro, nós vamos começar as reformas, priorizando aqueles locais que têm uma necessidade maior”, afirmou.

Fonte G 1 Goiás