Veja

6/recent/ticker-posts

 


14 pessoas são mortas a tiros por criminosos em Fortaleza


A madrugada de sábado teve início com, ao menos, 14 mortos em uma chacina no bairro Cajazeiras quando jovens estavam se divertindo no popular “Forró do Gago”. A informação é de André Costa, secretário de Segurança do Estado. A maioria das vítimas era de mulheres. Seis pessoas foram levadas para o Instituto Dr. José Frota (IJF) feridas, sendo duas em estado grave. 

Um rapaz de 24 anos com um tiro no rosto (ainda falando), uma menina de 16 anos com 3 tiros, outra de 16 anos com dois tiros, um menino de 16 anos com 1 tiro e um menino de 12 anos com um tiro na coxa. Alguns em cirurgia. 

A sexta vítima tem 19 anos. Ainda de acordo com o secretário, 7 vítimas foram identificadas, sendo 3 homens adultos, duas mulheres adultas e duas mulheres adolescentes. A suspeita inicial da polícia é que membros de uma facção criminosa estavam na danceteria “Forró do Gago”, próximo à BR-116, por volta da 1h30, quando vários homens armados chegaram em três carros, invadiram o local e dispararam tiros. Ainda não há informações sobre a motivação do crime, a identidade das vítimas ou se algum suspeito foi preso. 

 O presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Carreira do Estado do Ceará (Sinpol), Francisco Lucas de Oliveira, foi duro em sua análise após a Chacina das Cajazeiras. Para ele, o novo massacre ocorrido em Fortaleza, pouco mais de dois anos depois do assassinato de 11 homens na Chacina da Messejana, é culpa do governo de Camilo Santana, por não ter agido no momento certo. “Isso era previsível, extremamente previsível. 

E a culpa é do Governo do Estado, que no início de sua gestão optou por negar a existência das facções, ao invés de enfrentar o problema que já existia. As facções dominaram os presídios, e agora estão dominando as delegacias, tanto na capital como no interior”, criticou Francisco Lucas, em entrevista a TV Jangadeiro/SBT. (Com informações do Diário do Nordeste, O Povo e G1)