Veja

6/recent/ticker-posts

Bolsonaro será recebido hoje por Trump na Casa Branca


Em sua primeira visita oficial aos Estados Unidos, o presidente Jair Bolsonaro será recebido nesta terça-feira (19) pelo colega norte-americano Donald Trump na Casa Branca. Bolsonaro e a comitiva de ministros e assessores que o acompanhou à América do Norte desembarcaram no último domingo (17) em Washington. 

Eles retornam para Brasília na noite desta terça. Nos últimos dois dias, o presidente brasileiro participou de um jantar na casa do embaixador brasileiro Sérgio Amaral, foi à Câmara de Comércio e visitou a sede da Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos (CIA) na capital norte-americana. Bolsonaro abre o último dia de compromissos em Washington com uma audiência com o secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro (leia ao final desta reportagem a agenda completa do último dia do presidente brasileiro nos Estados Unidos). 

 Compromisso mais aguardado da agenda de Bolsonaro nos EUA, o primeiro encontro com Donald Trump ocorrerá no início da tarde na Casa Branca. Os dois chefes de Estado conservadores devem discutir durante a audiência comércio bilateral, parcerias estratégicas na área militar e a situação política e econômica da Venezuela. Críticos contundentes do regime bolivariano, Trump e Bolsonaro não reconhecem a legitimidade do novo mandato do presidente venezuelano Nicolás Maduro. 

Os presidentes dos EUA e do Brasil estão entre os primeiros chefes de Estado a reconhecer o autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó. Trump já admitiu que enviar militares para o país sul-americano "certamente é uma opção". O governo brasileiro tem repetido que não participaria de uma intervenção na Venezuela, porém, Bolsonaro citou nesta segunda (18) a capacidade "bélica" dos norte-americanos ao dizer que é preciso "resolver a questão da Venezuela". 

 No início desta madrugada, Bolsonaro concedeu entrevista ao canal Fox News, e disse querer que a Venezuela "volte à democracia" e que o Brasil é o país mais interessado em pôr fim ao governo de Nicolás Maduro. Ele também defendeu o muro na fronteira com o México para barrar imigrantes. Após o encontro na Casa Branca, Bolsonaro e Trump farão uma declaração à imprensa. Na sequência, o presidente brasileiro visitará o cemitério nacional de Arlington. 

Criado em 1860 e localizado em uma colina em frente à cidade de Washington, o cemitério é o local onde estão os restos mortais de 400 mil soldados americanos e de outros 11 países e é visitado anualmente por cerca de 4 milhões de pessoas. Bolsonaro e Trump Jair Bolsonaro e Donald Trump terão a primeira reunião bilateral em um momento no qual o Brasil defende intensificar as relações diplomáticas com os EUA. 

 Alinhados ideologicamente, os dois políticos têm em comum o discurso contrário à esquerda e ao sistema política, além do hábito de criticar a cobertura da imprensa tradicional. A rede CNN já definiu Bolsonaro como "Trump dos trópicos". Ao parabenizar o colega brasileiro no ano passado pela vitória na eleição, o presidente dos Estados Unidos disse que desejava trabalhar com Bolsonaro nas áreas militar e de comércio. 

 Nesta segunda-feira, o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, disse que a expectativa da comitiva brasileira é "ótima" em relação ao encontro entre os presidentes de Brasil e EUA. Segundo o porta-voz, Trump demonstrou sua "fidalguia" ao hospedar os integrantes da comitiva presidencial na Blair House, uma distinção reservada a poucas autoridades. Veja a agenda oficial de Bolsonaro nesta terça-feira em Washington (horário de Brasília): 10h30: Encontro com Luis Almagro, secretário-geral da OEA 13h00: Chegada à Casa Branca 14h45: Conferência de imprensa 15h30: Chegada ao Cemitério Nacional de Arlington para cerimônia de deposição floral 18h00: Reunião com lideranças religiosas norte-americanas 19h30: Jantar de trabalho 22h45: Partida para Brasília