Veja

6/recent/ticker-posts

 


PF prende ex-PM que ameaçou matar Moraes e sua família



 A Polícia Federal (PF) prendeu preventivamente, nesta segunda-feira, 6, o ex-policial militar Cássio Rodrigues Costa Souza, que ameaçou matar o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), e sua família. No pedido de prisão, a subprocuradora-geral da República, Lindôra Araújo, escreveu que “as abomináveis mensagens” do ex-policial ultrapassam “todo e qualquer limite”. A detenção foi autorizada por Moraes e ocorreu no âmbito do inquérito que apura a realização e o financiamento dos atos bolsonaristas convocados para esta terça-feira, 7. “As abomináveis mensagens permitem concluir no sentido da conexão dos fatos noticiados com o Inquérito de que se cuida, especialmente diante da expressa menção, em uma das publicações, ao investigado conhecido por ‘Zé Trovão’, que teve a prisão preventiva decretada nos autos”, diz um trecho da manifestação da PGR.

“Morra careca filho da p***, terça-feira vamos te matar e toda a sua família seu vagabundo, advogadinho de merda do PCC, sou militar e nós militares te eliminaremos”, diz uma mensagem publicada por Costa Souza em seu perfil no Twitter (a reportagem omitiu a palavra de baixo calão, mas reproduziu a publicação original). Na decisão que autorizou a prisão do policial, o ministro Alexandre de Moraes afirmou que “a conduta do requerido revela-se ilícita e gravíssima, constituindo ameaça ilegal à segurança dos Ministros do Supremo Tribunal Federal, revestindo-se de claro intuito de, por meio de violência e grave ameaça – inclusive com ameaças de morte –, coagir e impedir o exercício da judicatura, atentando contra a independência do Poder Judiciário, com flagrante afronta à manutenção do Estado Democrático de Direito, em patente descompasso com o postulado da liberdade de expressão, dado que o investigado expressamente, declara o intuito de, mediante violência e grave ameaça, forçar a destituição dos Ministros do Supremo Tribunal Federal”. Além disso, Moraes expediu ofício pedindo que o Facebook, o Instagram, o Twitter e o Youtube bloqueiem os perfis do ex-policial.

Postar um comentário

0 Comentários