EM GOIÁS MÃE DE LEONARDO PAREJA MORRE DE COVID-19

Veja

6/recent/ticker-posts

EM GOIÁS MÃE DE LEONARDO PAREJA MORRE DE COVID-19


Luzia Rodrigues Santos (75 anos), faleceu esta semana com Covid-19 no Hospital de Aparecida de Goiânia. Dona Luzia chegou a ganhar R$150 mil reais de indenização do estado pela morte do filho na prisão. Quem era Leonardo Pareja? Em abril de 1996 Leonardo Pareja comandou uma rebelião de sete dias no Centro Penitenciário de Goiás (CEPAIGO), na cidade de Aparecida de Goiânia, quando ele e mais 43 detentos fugiram após fazer várias autoridades como refém, inclusive o presidente do Tribunal de Justiça de Goiás, Desembargador Homero Sabino.



Quem era Leonardo Pareja?
Em abril de 1996  Leonardo Pareja  comandou uma rebelião de sete dias no Centro Penitenciário de Goiás (CEPAIGO), na cidade de Aparecida de Goiânia, quando ele e mais 43 detentos fugiram após fazer várias autoridades como refém, inclusive o presidente do Tribunal de Justiça de Goiás, Desembargador Homero Sabino.
Leonardo Pareja era galã, estudou inglês, espanhol, piano e programação de computadores. Teve uma vida de classe média alta, mas jogou tudo para o alto para entrar no mundo que o excitava: o mundo do crime. Com um discurso coerente, gostava de manipular as pessoas ao seu redor com seus jogos mentais. Pareja era um psicopata inteligentíssimo, narcisista, vaidoso, articulado e extremamente carismático. Gostava de sentir a adrenalina correndo pelas veias, o perigo o excitava.
Em um dos seus inúmeros assaltos, as moradoras de uma casa entraram em pânico, e o que ele fez? Pegou um violão, sentou em uma cadeira e começou a tocar e a cantar pra elas, enquanto que do lado de fora da casa seu comparsa trocava tiros com a polícia.A garota Fernanda Viana, então com 13 anos, sobrinha do então senador Antônio Carlos Magalhães [✰1927-✟2007], passou três dias como refém nas mãos de Leonardo Pareja, em setembro de 1995. Ele sequestrou a menina em Salvador e depois a levou para um hotel na cidade de Feira de Santana, também na Bahia. Libertada, o sequestrador fugiu e foi preso somente 39 dias depois, em Goiás.Acabou morto em dezembro de 1996, aos 22 anos. Sua morte teve uma conotação simbólica tão importante que até um líder de organizações a favor dos direitos humanos, colocou uma bandeira do Brasil sobre seu caixão. Pareja foi morto por rivais na cadeia, mas muitos afirmam que foi a mando de deputados e chefes da policia civil de Goiás.


Postar um comentário

0 Comentários