Trump cria conta em rival do TikTok após boicote ao aplicativo chinês

Veja

6/recent/ticker-posts

Trump cria conta em rival do TikTok após boicote ao aplicativo chinês

Em sua primeira postagem no Triller, o presidente dos EUA afirma ser ‘um profissional em tecnologia’ e que ‘ninguém pode fazer isso como eu’


Donald Trump tomou uma iniciativa inusitada no último final de semana. O presidente dos Estados Unidos criou uma conta no Triller, aplicativo de vídeo que é considerado rival do chinês TikTok, o qual está sofrendo uma espécie de boicote pelo líder americano desde o começo de agosto. Em sua primeira postagem, Trump afirmou ser “um profissional em tecnologia” e que “ninguém pode fazer isso como eu. Ninguém!”. Até o momento, a publicação já obteve mais de 8 milhões de visualizações. 

No dia 6 de agosto, Trump assinou decreto que, na prática, dá um prazo de 45 dias para uma empresa dos EUA comprar as operações no país do TikTok. Ontem, porém, ele esticou o prazo para 90 dias. O presidente acredita que o aplicativo chinês é uma ameaça contra a segurança nacional e econômica do país norte-americano. Em nota, o TikTok diz que a decisão foi tomada “sem o devido processo” e que durante quase um ano ele busca dialogar com o governo americano para buscar uma “solução construtiva para as preocupações que haviam sido expressas.”

A empresa diz que o governo Trump “não prestou atenção aos fatos, ditou os termos de um acordo sem passar pelos processos legais padrões e tentou se colocar no meio de negociações entre empresas privadas”. O TikTok destaca que o texto da decisão do governo americano atribui informações a “relatos”, sem citações, e temores de que o aplicativo “possa ser” usado para campanhas de desinformação, sem mostrar concretamente isso. “Nós temos deixado claro que o TikTok nunca compartilhou dados dos usuários com o governo chinês, nem censuramos conteúdo a pedido dele”, afirmou a empresa após o decreto, acrescentando que suas diretrizes de moderação e o código-fonte do algoritmo utilizado pela rede estão disponíveis em seu “Centro de Transparência”, o que não ocorre em empresas similares. “Nós até mesmo nos comprometemos a nos dispor a buscar uma venda total do negócio nos EUA para uma empresa americana”, comentou.

Entre os interessados em adquirir o TikTok, está a Microsoft, cuja negociação avaliada em torno de 50 bilhões de dólares foi denominada de “cálice envenenado” pelo cofundador Bill Gates. Também estaria nesta disputa o Twitter, cujo interesse poderia estar em fundir o TikTok com a rede social.


Postar um comentário

0 Comentários