Professor de medicina destrói a mídia, políticos e magistrados no assunto Pandemia.

Médico chegou a dizer que errou feio quando estudou medicina em uma Faculdade de Medicina



O médico pernambucano, James Cadidé, Professor da Universidade de Medicina em Salvador/BA, diretor médico da Clínica James Cadidé, escreveu e publicou um pequeno artigo que é uma joia rara nos dias de hoje. O Dr. James toca profundamente na ferida que é o comportamento da mídia, dos políticos e dos magistrados, em sua grande maioria, quando o assunto é a Pandemia do Novo Coronavírus.

Dr. James denuncia de forma inteligente uma série de crimes que estão sendo cometidos contra a população brasileira através de narrativas, ações e até desinformação a pretexto de ser “em nome da ciência”. Em tom irônico, o médico e professor de medicina diz que o seu defeito foi estudar medicina numa Faculdade de Medicina.


Confira o texto do Dr. James Cadidé sobre a Pandemia no Brasil!

MÉDICOS ESTUDAM MEDICINA NUMA FACULDADE DE MEDICINA
Tenho 40 anos de atividade profissional.
Atividade muito intensa.
Em média 12 a 16 horas por dia, todos os dias, inclusive hoje, sábados e domingos, em plena pandemia.
Sou médico.
Sou professor na Faculdade de Medicina, para alunos de medicina que estudam numa Faculdade de Medicina.
Fiz especialização e fiz mestrado.
Mas vejo agora que estudei na faculdade errada: fiz meu curso de medicina em uma Faculdade de Medicina.
Só agora percebo que deveria ter estudado medicina numa Faculdade de Direito ou então numa Faculdade de Comunicação ou então ter sido eleito a um cargo político, sem nem precisar ir a uma faculdade qualquer.
É que fico bobo, de ver que neste mundo de pandemia, os jornalistas, os magistrados e os políticos acham que sabem muito sobre saúde. Muito mais do que eu e do que todos os meus colegas, que como eu, estudaram medicina numa Faculdade de Medicina.
Eles ditam regras sobre cuidados com a saúde, nesta pandemia de coronavirus, de uma forma tão dominadora e sem dar direito a contestação, em nome da ciência e da vida, que me deixa realmente bobo. Com uma arrogância e uma petulância tão intensas, com posições tão firmes e rigorosas e ditando regras inclusive contra o Conselho Federal de Medicina.
Conhecem os níveis de evidência científica dos tratamentos e decisões, muito mais que a constituição e muito mais que as leis e regras da comunicação e muito mais que as leis que regulamentam a atividade política.
Interessante é que eles, ao fazerem isto, esqueceram de ser jornalistas, de ser magistrados e de ser políticos, usando o que pensam que sabem de medicina, para ditar regras e impor condições.
Acham-se donos de uma verdade única, só deles. Absolutamente deles. Cada qual do seu jeito. Cada qual com a sua regra. Cada qual com a sua vontade, “para preservar vidas, em nome da ciência e sem negacionismos”.
Então…
Não sou médico, nem professor em uma Faculdade de Medicina?
Eu e meus colegas somos bobos? Muito bobos? Grandemente bobos? Infinitamente bobos?
Não.
Somos médicos e sempre seremos médicos, mesmo tendo estudado medicina numa Faculdade de Medicina.
Os jornalistas, os magistrados e os políticos estão perdendo o senso e deixando de ser pessoas humanas, inebriados que estão com o se fazer médicos, sem ter estudado medicina numa Faculdade de Medicina.
Em breve, constatarão que não são médicos e não mais serão nem jornalistas, nem magistrados, nem políticos e perceberão que estão com a cara pintada no centro de um picadeiro vazio, sem ninguém para rir.
Porque ser médico é ser muito além de tudo isto.
Especialmente se ele, o médico, tiver estudado medicina numa Faculdade de Medicina.

JAMES CADIDÉ – DIRETOR MÉDICO DA CLÍNICA JAMES CADIDÉ

Postar um comentário

0 Comentários