Governo de Goiás investe R$ 229 milhões em alimentação escolar

 

Foto Divulgação 

Lançado em abril de 2020, o Auxílio Alimentação escolar beneficiou cerca de 110 mil estudantes em situação de vulnerabilidade social da rede estadual de ensino. O benefício garantiu o repasse quinzenal de R$ 75 para alunos beneficiários de programas sociais, como o Bolsa Família. Foram repassadas sete parcelas do Auxílio Alimentação, que vigorou em Goiás de abril a julho de 2020. O investimento total foi de R$ 54.286.425,00.

Em julho do ano passado, o Governo de Goiás anunciou a distribuição inédita de kits de alimentos a todos os estudantes matriculados nas escolas estaduais do Estado. Adquiridos pelos conselhos escolares por meio de processos licitatórios, os kits tinham o objetivo de suprir as necessidades nutricionais e alimentares dos estudantes durante o período em que estiverem em aulas virtuais.

Cada kit era composto gêneros alimentícios básicos não-perecíveis (arroz, feijão, macarrão e molho de tomate) e itens da agricultura familiar (verduras e legumes). A entrega era feita mensalmente, na escola em que o aluno estava matriculado.

Os kits de alimentos foram entregues de agosto a dezembro de 2020. Em fevereiro de 2021, com a manutenção do Reanp nas escolas da rede estadual, a distribuição dos kits foi retomada.  O benefício foi mantido até junho deste ano. Foram R$ 82 milhões investidos no segundo semestre de 2020 e R$ 45 milhões no primeiro semestre de 2021.

Serão destinados R$ 15,9 milhões mensais durante os três meses de vigência do benefício, totalizando investimento de R$ 47,7 milhões. A intenção é que, com o cartão, as famílias tenham uma maior autonomia na aquisição de alimentos, complementando as refeições dos estudantes durante o período em que estiverem estudando de casa.

Os cartões alimentação são entregues em todas as escolas da rede estadual de ensino desde o fim do mês de maio. Para receber o benefício, os pais ou responsáveis pelos estudantes devem atualizar o cadastro junto à instituição de ensino. A retirada do benefício só pode ser feita pelo responsável legal do aluno, mediante apresentação de documento de identificação com foto.

Fonte: Secretaria de Estado da Educação de Goiás (Seduc) - Governo de Goiás

Postar um comentário

0 Comentários