Veja

6/recent/ticker-posts

TV Brasil estreia novela A Escrava Isaura nesta quarta



 Sucesso da teledramaturgia nacional e internacional, a novela A Escrava Isaura estreia na programação da TV Brasil a partir desta quarta (12), às 20h. A produção vai ao ar na telinha da emissora pública, de segunda a sábado, sempre no mesmo horário. A trama estreia no canal após a repercussão positiva da novela Os Dez Mandamentos, obra que elevou a audiência da TV Brasil. As emoções dos últimos capítulos e o desfecho da saga de Moisés são mostrados nesta segunda e terça-feira, às 20h30.

Reconhecida pela crítica e pelo público por abordar temas que retratam parte da história do país, A Escrava Isaura é baseada no romance homônimo escrito por Bernardo Guimarães, em 1875. Com texto de Tiago Santiago e Anamaria Nunes, a novela tem direção-geral de Herval Rossano. O diretor de Conteúdo e Programação da EBC, Denilson Morales, ressalta que a exibição de A Escrava Isaura vai ao encontro da missão da EBC de fomentar a cultura. “A nova atração também reforça um dos pilares da empresa, que é o de fortalecer a valorizar as produções nacionais”.

Morales conta também que o Comitê de Programação e Rede da EBC selecionou a novela entre diversos conteúdos prospectados por se tratar de um remake, gravado em 2004, de uma das novelas de maior sucesso da televisão brasileira e mundial, que em outubro de 2021 completou 45 anos desde a estreia. "Esse é um dos motivos pelo qual a história narrada torna-se atrativa para o telespectador. Vale lembrar que a primeira versão da novela é de 1976 e foi vendida para mais de 80 países, sendo o primeiro grande sucesso mundial da Rede Globo de Televisão”. 

Com 167 episódios de aproximadamente 45 minutos de duração por capítulo, a trama principal acompanha os desafios vividos pela escrava Isaura, interpretada por Bianca Rinaldi, sobre os desmandos de Leôncio, papel de Leopoldo Pacheco. Théo Becker, como o abolicionista Álvaro, e Renata Dominguez, como a cruel Branca, também são protagonistas. A novela ainda tem a atuação de nomes conhecidos da dramaturgia brasileira como Patrícia França, Mayara Magri, Jackson Antunes, Maria Ribeiro, Caio Junqueira, Gabriel Gracindo, Paulo Figueiredo e Ewerton de Castro.

Os veteranos Rubens de Falco e Norma Blum fazem participações especiais no início da trama após serem protagonistas na versão de 1976 da novela. O galã ficou conhecido internacionalmente como o vilão Leôncio e retorna para interpretar o Comendador Almeida, pai do personagem. Já Norma Blum fez Malvina, casada com Leôncio, na primeira obra e agora vive Gertrudes, madrinha de Isaura.

Gestora da TV Brasil, a Empresa Brasil de Comunicação (EBC) adquiriu os direitos de exibição do clássico. O contrato de licenciamento permite exibir a novela pela emissora, pelas afiliadas da Rede Nacional de Comunicação Pública (RNCP), pela TV Brasil Web e pelo aplicativo TV Brasil Play.

TV Brasil também terá outras novidades ao longo da programação de 2022, mais uma telenovela está em fase final de negociação.

Conflito da trama

O enredo mostra a rotina da jovem Isaura (Bianca Rinaldi), órfã que enfrenta muitos sofrimentos até encontrar a felicidade. Sua mãe era mulata e foi mucama na fazenda onde ela nasceu e viveu. Isaura sempre recebeu amparo de Gertrudres (Norma Blum), sua senhora, como se fosse uma filha, mas foi desprezada pelo seu senhor, o Comendador Almeida.

Muito dócil, o sonho de Isaura sempre foi conquistar sua liberdade. No entanto, no caminho surge Leôncio, o único filho do Comendador Almeida. Totalmente desprovido de caráter para conquistar Isaura, Leôncio comete atrocidades com Isaura que foge e assume outra identidade.

Numa chácara perto de São Paulo, Isaura vive um novo amor com o abolicionista Álvaro, mas é desmascarada. Ela volta a sofrer nas mãos de Leôncio e de outras parceiras no crime. Reviravoltas na trama proporcionam emoções para a protagonista.

A trama destaca a luta dos escravos pela liberdade, exibindo o começo dos movimentos abolicionistas, mostram o cotidiano das senzalas e destaca as crenças, as danças e os rituais dos negros foram muito bem reproduzidas.

Postar um comentário

0 Comentários