EUA enviam 3 mil soldados para o leste Europeu em meio à tensão na Ucrânia

 


Os Estados Unidos vão enviar 3 mil militares em apoio às forças da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) para vários países da Europa Oriental. Do total, 2 mil soldados vão da base americana de Fort Bragg, na Carolina do Norte, para Alemanha e Polônia já nesta semana, e outros mil vão ser transferidos da Alemanha para a Romênia. A informação foi comunicada à imprensa nesta quarta-feira, 2, pelo porta-voz do Departamento de Defesa dos EUA, John Kirby. Entretanto, o presidente Joe Biden disse que não vai colocar tropas americanas na Ucrânia para combater possíveis incursões russas, embora os Estados Unidos estejam fornecendo armas ao país.

Entretanto, a Rússia já afirmou não ter intenção de iniciar um conflito na região e estar disposta a continuar os esforços diplomáticos. Em seus primeiros comentários públicos sobre o impasse em mais de um mês, na última na terça-feira, Putin acusou os EUA e seus aliados de ignorarem as exigências de segurança central da Rússia, mas disse que Moscou está disposta a conversar mais para aliviar as tensões. Ele sugeriu que uma possível invasão russa pode não ser iminente e que pelo menos mais uma rodada de diplomacia é provável.

Além da movimentação dos EUA no leste europeu, o Pentágono também colocou cerca de 8,5 mil soldados em solo americano EUA em alerta máximo para possível envio à Europa. Os EUA possuem entre 75 mil e 80 mil soldados na Europa, como forças permanentemente estacionadas, e como parte de rotações regulares como a Polônia. Após conversas em Kiev com o presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskyy, o primeiro-ministro holandês Mark Rutte sublinhou que “é essencial que o diálogo continue”. Caso contrário, segundo ele “Está claro que novas agressões contra a Ucrânia terão sérias consequências”.

Postar um comentário

0 Comentários