O deputado estadual Arthur do Val, conhecido como “Mamãe Falei”, anunciou neste sábado, 5, que retirou sua pré-candidatura ao governo de São Paulo pelo Podemos. A decisão ocorre após o vazamento de áudios em que ele diz que mulheres ucranianas “são fáceis porque são pobres”. Arthur do Val foi à Ucrânia para acompanhar o conflito entre o país e a Rússia. “Os áudios que vazaram de uma conversa privada com os amigos são lamentáveis. Não são corretos com as mulheres brasileiras, ucranianas e com todas as pessoas que depositam confiança em meu trabalho e, por isso, peço desculpas”, afirma o deputado. Arthur do Val afirma que entrou em contato com a presidente do partido pelo qual ele era pré-candidato para informar que não concorreria mais ao cargo no Palácio dos Bandeirantes e afirmou que “não tem compromisso com o erro”. “Faço isso por entender que nesse momento delicado da política nacional é necessário preservar o árduo trabalho de todos aqueles que se dedicam na construção de uma terceira via. O projeto não merece que as minhas lamentáveis falas sejam utilizadas para atacá-lo”, completou.

Mais cedo, ele se desculpou pelas falas e afirmou que o que foi dito não é o que ele pensa. “O que eu falei foi um erro em um momento de empolgação”, declarou a jornalistas ao chegar em São Paulo após a viagem. “Eu só peço que entendam o contexto. São dois contextos diferentes. Uma coisa é o Arthur que foi lá fazer a missão, fez e saiu. A outra coisa é o Arthur que mandou um áudio privado para os amigos de forma errada, descabida, não foi a melhor das posturas. É nítido aquilo. Mas como falei, é um áudio privado.” Diante da repercussão negativa, o deputado estadual fez um vídeo pedindo desculpas por suas falas. Além de dizer que as ucranianas são “fáceis”, Arthur ainda deu outras declarações machistas. “Eu nunca na minha vida vi nada parecido em termos de ‘mina’ bonita. A fila das refugiadas, irmão, imagina uma fila de 200 metros, só deusa. É um bagulho fora de série. Se você pegar a fila da melhor balada do Brasil, na melhor época do ano, não chega aos pés da fila das refugiadas aqui”, afirmou.

A ministra da Mulher, Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, disse neste sábado, 5, que pediu a cassação do mandato de Arthur do Val. “Eu não vou ficar apenas na cassação. Eu quero investigar se ele usou passaporte diplomático, se usou recursos públicos, as doações que foram, porque eles fizeram uma ampla campanha, quero saber quanto entrou”, declarou Damares. O presidente da Alesp, Carlão Pignatari, também se pronunciou. “Não há mais palavras para repudiar a fala do deputado Arthur do Val com a severidade que merece. Repugnante e inaceitável”, afirmou Pignatari. Ele ainda prestou solidariedade às mulheres ucranianas e a todas as mulheres e disse que irá investigar a conduta do deputado com “o rigor e a seriedade que requer”.