Entenda ; Artistas ignoram decisão do TSE e se manifestam nos palcos do Lolla

 


O TSE entendeu como propaganda eleitoral a apresentação de Pabllo Vittar e de Marina, no primeiro dia de Lolla, e proibiu novos ‘atos eleitorais’ no último dia de festival. A decisão foi repudiada por famosos, que se manifestaram nos palcos.

Pabllo ergueu uma bandeira do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT).

Fresno exibiu um “Fora Bolsonaro” no telão e ainda recebeu no palco o cantor Lulu Santos, que se manifestou contra a censura.

Marina Sena pediu que todos tivessem atenção ao título de eleitor, pois só assim poderiam mudar algo.

Quando a plateia entoou cantos contra Bolsonaro, Marina sorriu e completou: “Não é possível que com tanta gente gritando isso a gente não consiga”.

Já o rapper Djonga, ao subir ao palco do Lolla, não apenas falou contra Bolsonaro, como citou indiretamente a decisão do TSE. Ele declarou que “já que não podia falar”, iria falar, pois “gosta de desobedecer”.  Djonga fez ainda um manifesto contra racismo no final de sua apresentação.

Gloria Groove protestou contra a censura e Bolsonaro e ainda usou uma roupa com o número 13, referente ao ex-presidente Lula.

Marcelo D2 também protestou contra Bolsonaro e fez gritos a Lula no palco.

Postar um comentário

0 Comentários