Segundo o presidente da República, a apresentação aos representantes internacionais vai ser técnica, sem tom político. Bolsonaro citou episódios recentes de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em eventos no exterior como exemplos de atos que supostamente fugiram da harmonia democrática.

Ação na região Noroeste de Goiânia sine móvel encaminha 200 pessoas para vagas de emprego

Luiz Edson Fachin, presidente do TSE, disse em evento nos EUA que temia por “atos golpistas nas eleições brasileiras, em comparação com a invasão do Congresso norte-americano por apoiadores de Donald Trump”. Já Luís Roberto Barroso, do STF, afirmou que as Forças Armadas estavam sendo orientadas a atacar o processo democrático nas eleições.

“Vai ser algo técnico. Porque o ministro Fachin e o Barroso foram para o exterior criticar o presidente da República, fazer palestra de como derrubar o presidente e falar que estou atentando contra a democracia. Nós queremos é transparência”, afirmou Bolsonaro a jornalistas no domingo.

Via Canal Gama