Após decisão da Suprema Corte dos Estados Unidos sobre a restrição ao aborto, o Google anunciou que irá remover automaticamente o histórico de localização dos usuários quando estes/estas visitarem centros de aborto. 

O comunicado saiu na sexta-feira pela preocupação de que uma trilha digital possa informar às autoridades sobre as atividades dos cidadãos. A empresa também ressaltou que continuará “a se opor a demandas impróprias ou excessivamente amplas por dados do governo”. A partir das próximas semanas, aqueles que usam o histórico de localização terão os dados excluídos logo após a visita. 

O Google é a primeira empresa de tecnologia a detalhar como lidará com os dados do usuário em resposta às preocupações sobre a decisão do tribunal.