Quem são os principais economistas por trás da transição de governo de Lula ?

 



A PEC da transição para a manutenção do Auxílio Brasil são as principais pautas da equipe do governo eleito neste momento. Entretanto, ainda não se fala em nomes de possíveis ministros para o governo a partir de 2023. Lula prometeu definir os ministérios pastas assim que voltar de viagem do Egito, onde participa da COP27. 

Ajude o site a se manter no ar 


Os  indicados por Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Geraldo Alckmin (PSB) para discutir a transição econômica chamou a atenção como possíveis nomes para ocupar o Ministério da Economia futuramente. Pérsio Arida e André Lara Resende são liberais e acreditam numa menor interferência do Estado na economia. Os dois economistas ajudaram a criar o Plano Real em 1994, quando o Brasil enfrentava a crise com a hiperinflação. 

 Arida defende uma reforma tributária sobre o consumo. Ele já apontou erros da gestão do PT e alertou para o novo governo não começar com uma má impressão, usando a renúncia da britânica Liz Truss como exemplo. Resende defende ideias consideradas exóticas pelos investidores. Ele sugeriu que as políticas monetária e fiscal, como controle da inflação, selic e contas públicas fossem administradas por um comitê entre o Banco Central e o BNDES, algo parecido com o Copom.


 Por outro lado, há também na equipe economistas com perfil mais social: Guilherme Mello, Nelson Barbosa e Guido Mantega defendem uma linha mais próxima às ideias do PT, como o maior controle do mercado pelo Estado e o aumento de gastos públicos.

Postar um comentário

0 Comentários