Prefeitura inicia projeto arte urbana no Viaduto da T 63

 


A Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Cultura (Secult), inicia nesta quarta-feira (24/05), às 10h, a primeira etapa do projeto Arte Urbana no Viaduto da T-63, e segue até domingo (28/04) com a ação. No total, 12 artistas grafiteiros foram selecionados, via credenciamento, e serão os responsáveis pela obra artística realizada em várias etapas até a conclusão.

 
De acordo com o titular da Secretaria Municipal de Cultura (Secult), Zander Fábio, é uma grande satisfação começar o projeto em um dia de feriado municipal. “Celebramos hoje a padroeira de Goiânia e vamos iniciar mais uma obra linda, com um grande diferencial. São seis artistas homens e seis mulheres. Pela primeira vez, teremos mulheres no Arte Urbana e isso é ótimo, é diversidade, é democracia é arte para todos. Garanto que teremos um viaduto todo repaginado e muito bonito”, pontua.
 
Trânsito interditado
 Os artistas estarão no local nos dias 24 e 28, das 10h às 00h, e nos dias 25, 26 e 27, das 20h às 00h. Horários que terão o apoio da Guarda Civil Metropolitana (GCM) e da Secretaria Municipal de Mobilidade (SMM) com a interdição da T-63 sentido Nova Suíça e Terminal Isidória.
 
Projeto Arte Urbana
O projeto Arte Urbana é coordenado pela Secult que, ao ilustrar espaços públicos da cidade, promove artistas goianos por meio de grafite e pinturas diversas. A iniciativa tem o objetivo de estampar estruturas físicas municipais como viadutos, pontes, corredores, praças e parques com obras de grafite e pinturas diversas.

O projeto recebeu investimentos da ordem de R$ 500 mil e, além das pinturas realizadas em dois complexos, abrange a revitalização que foi feita no do Beco da Codorna, no Centro de Goiânia, e dos viadutos do Complexo Viário Jamel Cecílio e do Viaduto Iris Rezende Machado, inaugurados no início do ano de 2022.

O prefeito Rogério Cruz explica que o “projeto contribui artisticamente com a estética dos locais e colocará a arte ao alcance dos olhos de quem passa, além de valorizar a cultura local, a arte urbana e o acesso isonômico às oportunidades”, avalia.

Rogério Cruz lembra que a arte urbana está presente nas ruas e prédios de toda a cidade. “Goiânia é uma galeria de arte a céu aberto, pois, além de sermos o segundo conjunto arquitetônico em estilo Art Déco do mundo, temos pinturas expostas em prédios do Centro, Jardim Goiás, Setor Sul, então, por que não valorizá-las em nossas obras, parques e praças públicas?”, reflete.

Postar um comentário

0 Comentários