Veja

6/recent/ticker-posts

Imagens mostram que criminoso já estava morto e que colega do militar se abaixa para não ser atingido


Após a perseguição que baleou e matou o auxiliar de produção Tiago Messias Ribeiro, 
de 31 anos, e um menor, cuja identidade não foi revelada, que o fez refém, um policial militar
 entrou dentro do carro roubado e efetuou disparos no para-brisa dianteiro. Em um vídeo, que 
mostra a ação, é possível ver o suspeito já morto no local. Outro PM chega a se abaixar para
 não ser atingido (veja acima). A família do refém questiona a atuação da corporação, 
que apura o caso. Tiago foi abordado pelo suspeito na noite de sábado (25), 
na chácara onde mora com a família, em Senador Canedo, na Região Metropolitana de Goiânia.
 Ele foi obrigado a entrar no carro e dirigir para o assaltante, que entrou no banco do passageiro. 
O tiroteio ocorreu próximo a um posto de gasolina. A assessoria de imprensa da PM informou, 
em nota, que, ao ser informada do roubo, conseguiu localizar o veículo. Ainda de acordo com o comunicado, "durante a abordagem, os policiais foram recebidos com disparos de arma de fogo oriundos do interior do carro" (veja a íntegra ao final do texto). Então, segundo a PM, os militares revidaram, atingindo os ocupantes. Tiago foi colocado em uma viatura e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), mas no meio do caminho, o carro bateu em um poste.
 Uma ambulância fez o resgate, mas ele chegou ao hospital morto. 
Já o assaltante morreu no local.